Três considerações sobre o debate da CNBB

Cristo nasceu no meio da Nobreza Judaica. Era pobre, é verdade, mas tinha direito ao Trono de Judá como legítimo herdeiro.

Cristo nasceu no meio da Nobreza Judaica. Era pobre, é verdade, mas tinha direito ao Trono de Judá como legítimo herdeiro.

Mais três considerações sobre o debate de ontem na CNBB.
1. Dilma e Marina Silva saíram-se muito mal mesmo assessorada por duas pessoas que não apareceram em nenhum momento pela tv mas que foram fotografados no conjunto do palco. Os outros presidenciáveis, nenhum tinha assessor!
2. Quatro candidatos se referiram a suas raízes cristãs e dois especialmente a sua fé Católica, Aécio Neves e Levy Fidelis. Três deles não fizeram menção uma vez sequer: Dilma, Marina, “Rainha de Copas” do Psol.
3. Levy Fidelis, querendo ser original, cometeu um erro de interpretação dos Evangelhos. Erro muito comum cometido até por bispos e padres. Ele disse que Jesus saiu do meio do povo e vivia para o povo e tirou seus apóstolos do meio do povo…
Esse erro, comum nos progressistas influenciados pela Teologia da Libertação, não tem respaldo em nenhum evangelho.
Cristo nasceu no meio da Nobreza Judaica. Era pobre, é verdade, mas tinha direito ao Trono de Judá como legítimo herdeiro. Sua mãe descendia de Davi e, entre os Judeus, a genealogia mais importante não é a do pai… mas da mãe, provavelmente devido a promessa de Deus a Isaías: Uma virgem dará a luz a um filho…
Cristo não andava atrás de povo algum. O povo é que vivia atrás dele e, Cristo tinha muita pena daquela multidão, cuja fome material era apenas uma fagulha da pobreza espiritual. Cristo foi, sempre em suas andanças, atrás das elites, e convertendo um a um, tornou possível a mudança radical operada com a vinda do Espírito Santo.
Seus apóstolos e discípulos eram escolhidos na elite. Pedro, humilde pescador era na verdade um grande homem de negócios, possuía vários barcos, muitos empregados e sua produção de peixes era sempre grande. Cristo mesmo colaborou com o empreendimento de Pedro enchendo a Barca de peixe, numa maravilhosa metáfora do que faria com sua Igreja.
Portanto, não é feio ter dinheiro, ser empreendedor e empresário. Paulo vivia do trabalho dele, e se orgulhava disso. Pedro também e assim outros discípulos. Lucas era médico. Só Judas era o político do grupo e procurava agradar a todos, distribuindo esmolas e… guardando a maior parte.
Este conceito do Cristo “comunista” é um grave pecado! Cristo, em toda seus ensinamentos é elitista.